23.8.09

Tenho 33 anos e desde cerca dos 22 anos que tenho um queloide, que surgiu de forma espontânea, na zona do peito. Tal tendência para queloides é hereditária. Após uma intervenção cirurgica, indevida, o queloide aumentou muito. Passado alguns anos, fiz infiltrações com corticóides e usei placas de silicone, o que fez "aplanar o queloide. Todavia, ele encontra-se ainda com muito volume.
Gostaria de saber que tipo de soluções existem, se resolvem definitivamente o assunto e quais são os riscos decorrentes.
 
As reacções queloidais do organismo têm, de facto, uma predisposição individual e por vezes genética. Também sabemos que quer no caso de quelóides (salvo raras excepções) é de evitar a remoção das mesmas por via cirúrgica, uma vez que a probabilidade de reformação de uma cicatriz hipertrófica é praticamente sistemática.
Ás alternativas com infiltração de corticóides, e do uso de placas de silicone junta-se uma muito interessante que é a realização de tratamento com laser pulsado de contraste (PDL) ou, em casos mais resistentes, a eventual realização de radioterapia superficial (Rontgenterapia)

link do postPor dermatologiaedermocosmetologia, às 10:42 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



 
Envie a sua questão
Este consultório online é um espaço onde pode colocar as suas dúvidas no âmbito da Dematologia e Dermocosmetologia. Este Consultório tem um carácter informativo e o acompanhamento médico especializado por parte dos leitores não deve ser descuidado.

E-mail: dermatologia@sapo.pt
Agosto 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

24
25
26
27
28

30


subscrever feeds
blogs SAPO