28.6.09

Desde muito nova que sofro de herpes na face sempre no mesmo local, antigamente aparecia-me apenas uma ou duas vezes por ano, mas ultimamente tem rebentado todos os meses, causadas pelo sol, pelo frio, pelo stress. Já me disseram que não tem tratamento, costumo passar as pomadas, gelo, e tentar não mexer muito, mas é muito incómodo, inestético e doloroso. Gostava que me pudesse aconselhar algo!

 

De facto os herpesvírus uma vez infectando um indivíduo, permanecem em estado de "adormecimento" nas raízes dorsais das raízes nervosas e, aquando de uma baixa temporária da imunidade ou de agressão cutânea (sol, frio, secura, ...) voltam a replicar-se e a dar origem a um novo surto herpético, habitualmente sempre na área sensitiva que a determinada raiz inerva.

Quando as crises se tornam muito repetitivas (está grosseiramente estipulado que assim é quando a sua frequência é superior a 1 crise de 2 em 2 meses), deverá ser feita terapêutica supressiva com antivirais (aciclovir ou valaciclovir) em baixa dose mas de forma continuada durante vários meses.

É evidente que as medidas locais de proteção solar e hidratação devem sempre ser mantidas e aquando de uma crise e a medicação anti-viral deve ser iniciada precocemente. Localmente só devem ser aplicados solutos inertes, para evitar qualquer tipo de sensibilização, do tipo do éter ou sulfato de zinco a 2%.

link do postPor dermatologiaedermocosmetologia, às 09:03  comentar

Gostava de saber qual a profilaxia para um"Hailey-Hailey"

 

 

Antes de mais precisar que esta doença é rara, geneticamente transmitida segundo um padrão dominante (cerca de metade da descendência pode ser afectada), designando-se também por pênfigo familiar benigno.

As lesões vesiculosas e descamativas com graus de maceração variáveis surgem habitualmente nas áreas de fricção (base pescoço, axilas, virilhas, ...) e podem tornar-se bastante dolorosas e incomodativas, sendo frequentemente mal odorantes.

 

link do postPor dermatologiaedermocosmetologia, às 08:40  comentar

23.6.09

Boa tarde, eu gostava muito de tirar uma duvida que é;
se existe algum problema se eu utilizar sumo de limao natural
para aclarar a pele do rosto á noite e tirar no dia seginte? Por favor gostava que me respondessem com urgencia.

 

Não me parece nada aconselhável que o faça porque o sumo de limão, para além de ter alfa-hidroxiácidos que teoricamente podem ajudar na descoloração cutânea, contém outras moléculas, e nomeadamente psoralenos, que podem originar fenómenos de fototoxicidade e causar-lhe queimaduras locais se expuser a face ao sol.

Existem protocolos despigmentantes específicos, eficazes e sem estes riscos associados.

 

link do postPor dermatologiaedermocosmetologia, às 12:16  ver comentários (1) comentar

Tenho o cabelo bastante oleoso e fino e já experimentei de tudo e mais alguma coisa, ou seja shampoos caros, e pouco efeito  me fizeram. Fui a uma consulta capilar numa empresa, onde me disseram que podia lavar o cabelo todos os dias porque o excesso de óleo é que também provocava muita queda. Depois disseram-me que se fizesse um tratamento de mais ou menos  1800 euros que o problema ficava resolvido.

 

 

O tipo de cabelo é próprio a cada pessoa e não existem formas de alterá-lo, ou seja, tornar um cabelo de haste fina num cabelo de haste espessa. Já quanto à oleosidade e ao aspecto global do cabelo, existem várias opções terapêuticas que os podem melhorar significativamente.

 

link do postPor dermatologiaedermocosmetologia, às 12:04  ver comentários (2) comentar

Gostaria que me esclarecesse duvidas, sobre umas manchas que me apareceram no corpo (tronco e costas), pelo que vi e pelo que pesquisei é pitiriase versicolor.
Gostaria de saber maneiras de fazer desaparecer estas manchas que me deixam desconfortavel...

 

É natural que se trate de uma pitiríase versicolor que é muito frequente durante todo o ano mas que se torna mais evidente durante o período estival. Passo a explicar:

A nossa pele é parasitada por inúmeros microorganismos que contituem a nossa flora cutânea. Entre eles existe uma levedura chamada Malassesia furfur que em determinadas circunstância (que poderão ter a ver com o pH cutâneo e a própria composição do sebo produzido) podem proliferar mais e criar colónias cutâneas mais extensas começando a produzir ácidos (nomeadamente o ác. azelaico) que impedem as células pigmentares (melanocitos) de produzir o pigmento cutâneo (melanina).

link do postPor dermatologiaedermocosmetologia, às 11:42  comentar

 
Envie a sua questão
Este consultório online é um espaço onde pode colocar as suas dúvidas no âmbito da Dematologia e Dermocosmetologia. Este Consultório tem um carácter informativo e o acompanhamento médico especializado por parte dos leitores não deve ser descuidado.

E-mail: dermatologia@sapo.pt
Junho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19

21
22
24
25
26
27

29


subscrever feeds
blogs SAPO